quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Lá fora na rua...



     ... a manhã desperta com nuvens cinzentas. Cai uma chuva miudinha e nos passeios as pessoas movem-se em silêncio, manifestando o mau tempo sentido. Os que não têm guarda-chuva, caminham apressadamente, abrigando-se por debaixo das varandas e toldes das lojas. Os outros caminham, simplesmente, encolhidos pelo frio da chuva gelada que lhes toca nas mãos, com uma expressão desapaixonada e os sentidos ainda adormecidos.

     Entretanto, lá dentro, ela abre a janela, e apoiando os seios fartos no parapeito, estica-se por forma a alcançar a roupa no estendal fixo na parede, e agilmente começa a apanhar a roupa, já húmida.
Por detrás, ele aproxima-se e acolhe-a, enrolando os braços à volta da sua cintura, desapertando o robe vagarosamente e alcançando o corpo nu.
Percorre-lhe a púbis, depois as nádegas, afastando-as em movimentos circulares, e de novo a púbis até lhe alcançar o sexo. Ela resmunga e aperta-lhe os dedos entre as pernas, não o deixando prosseguir. Não se dando por vencido, investe nos seios, tocando os mamilos espetados e a pele arrepiada, enchendo as mãos,  apertando-os uma vez, e beliscando outra.
Encosta-se a ela empurrando-a contra a parede, tocando-a desalinhadamente e roçando a sua rigidez na pele macia das pernas. Mais uma vez ela protesta, continuando no afazer que a detém à janela,  e em vão tenta afasta-lo. Irritado com a rejeição, abruptamente afasta-lhe as pernas com as suas, curva-lhe as costas por cima do parapeito da janela, trilhando-lhe os seios nos frisos, e afasta-lhe o robe, pondo as nádegas a descoberto.
Ela geme, rabujando, e não resistindo mais empina o rabo, coloca as mãos com a fronha da almofada entre os dedos sobre o parapeito, e oferece-lhe o corpo. Ele sorri triunfante, leva os dedos à boca molhando-lhe as pontas e de seguida toca-lhe o sexo molhado, sente-lhe os pêlos raros, puxa-a para si e de uma só estoca penetra-a.
E assim continua, aumentando a cadência dos movimentos, penetrando mais fundo e forte, segurando nas ancas empurra-lhe o corpo para a frente e para trás, baloiça-lhe os seios no parapeito, e ouve-lhe a doçura dos gemidos langorosos... a roupa apanhada cai pelo chão.

     A chuva cai agora com mais intensidade. O autocarro pára em frente chiando, e a primeira porção de gente sai, atulhando-se uns contra outros, e em direcções diferentes. Risos, palavras, guarda-chuvas, casacos, sacos, mochilas. O dia começa, chove e está frio.








40 comentários:

  1. Esses despertares são muito interessantes! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim se começa bem o dia! :))

      Eliminar
    2. é um duelo de titãs entre o Zé e o Leão! ;)

      Eliminar
    3. Leão? Sporting?

      Eliminar
    4. referia-me aos acordares...

      Eliminar
    5. E tu acordas como?? :)

      Eliminar
    6. com tesão do mijo, como querias que fosse? ;)

      Eliminar
    7. Com tesão que se mantivesse para lá do mijo...

      Eliminar
    8. normalmente esmorece...:)

      Eliminar
    9. Parece um jogo de ping-pong.

      R.

      Eliminar
    10. E com uma atiçadela, continua esmorecido?
      Desiludes-me, sr. do batuque!

      Eliminar
    11. Olha! O coelho! :)

      Eliminar
    12. faleceu, coitado...
      foi batuque a mais!
      o grilo não aguentou

      (pois parece, R. :) )

      Eliminar
    13. Não acredito... Nem com festinhas lá vai?

      Eliminar
    14. Não sei se escreve ou se veja a partida.

      Olá, menina Bela.

      R.

      Eliminar
    15. zero, já lhe fiz a extrema-unção e tudo...

      Eliminar
    16. Olá coelhinho!

      Não quero acreditar que nem com beijos e, quem sabe, uma língua quente a coisa não arrebite...
      Ora chega-te aqui à Belinha!!!

      Eliminar
    17. Não queres experimentar? Olha que posso ficar com as mamas copa D ao natural porque aqui está calorzinho...

      Eliminar
    18. estou fora desse carnaval!
      Estamos a chegar à Páscoa, tens aí o coelhinho... ;)

      Eliminar
    19. Já vi que não te agrado! Deixo, então, para as outras meninas. Sempre são mais atraentes, pelos vistos!

      Vou almoçar que a comida não me enjeita!

      Eliminar
    20. Coelhinho, fica bem!

      Eliminar
    21. a avaliar pela foto não és nada de mandar fora...
      não me apetece, só isso!

      beijo e bom almoço

      Eliminar
    22. Obrigada! As melhoras!

      Eliminar
    23. Olha, já acabou? Quem ganhou?

      R.

      Eliminar
    24. Ganhou o Kapikua, pelos vistos! Não sou mulher para lhe encher as medidas...

      Eliminar
    25. Nada com um homem dizer-me "não me apetece" para ficar logo a pereder!

      Ainda bem que foi o único até hoje!

      Eliminar
    26. Leia-se "perder".

      Eliminar
  2. Zé:

    Gostei :) está giro :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já que eu não consigo, vê se animas o rapaz aí de cima!
      Beijos, portista!

      Eliminar
  3. gosto dos teus textos, Zé. muito bom.

    ResponderEliminar
  4. Para certas vontades e desejos, a hora a que se quer e se pede e se precisa nunca deve ser importante. No entanto, essa é das formas mais perfeitas de começar um dia.

    Estiveste bem :)

    ResponderEliminar
  5. Um dos transeuntes, ao sair do autocarro, olhou para cima conferindo o tempo.
    No exacto momento em que um fio dental lhe cai no rosto...
    Muito lá em cima, ouviu um grito de excitação, que o deixou desconcertado.
    ...entretanto, no prédio em frente...

    Primo, afinal também tens boas manhãs, meu sacana!

    :))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Qual fio dental?? Então ela não estava nua, só com o roupão? Porra, Leão, que não lês os textos com atenção, pá! :)))

      Eliminar
    2. ... entretanto no prédio em frente, alguém à janela, uns andares acima, apreciava o espectáculo através da mira de um Konus ( a saber: http://ohdearze.blogspot.pt/2013/02/as-noites-do-ze.html )...

      :)))

      alguém continua?

      Eliminar
    3. ...e sorria. Provocadora ela, porque sabendo-se observada, olhava, enquanto se deixava penetrar. Ele olhou o relógio, sentindo que em breve chegaria a sua vez...

      R.

      Eliminar
  6. até eu fiquei doidinha só de ler isto, possa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não admira! A vida é madrasta, não é Pastora?! :))))
      Beijoca, e vai às compras ;)

      Eliminar