quinta-feira, 27 de março de 2014

Abandonei-a!


( sem imagem, não vão as angariações fugir... )


Após uma não muito longa e acirrada troca de e-mails, fechamos-nos naquele gabinete dos fundos, escuro e esquecido.
Ambos sabíamos para o que íamos, talvez tu, não. O dia fora aborrecido. Tinha a cabeça cheia de merdas e uma grande vontade de foder. As mulheres libertam as suas angústias em compras ou em chocolates e depois desatam num agudo berreiro. Eu cá, fico teso.
Fechei a porta atrás de ti. Olhaste-me por cima do ombro, e nesse sorriso ordinário, mordeste o lábio.
Aproximei-me e empurrei-te contra a parede. Senti esse teu rabo perfeito e curvei-o. Sentiste a minha rigidez e roçaste-te, empinando ainda mais o rabo.
Levantei o vestido até à cintura. És uma cabra assanhada e já vinhas sem cuecas. Curvei de novo esse rabo, contornei as formas, e passei o dedo de cima a baixo até sentir essa cona encharcada. 

Já tinha saudades de fazer amor contigo, sussurraste-me em voz rouca. De forma bruta agarrei-te pelos braços, e prostrei-te sobre a longa e empoeirada mesa. Com as minhas pernas, afastei as tuas, sem nunca te largar os braços, segurando-os pelos cotovelos, e posicionei-me entre elas, deliciando as vistas com a vista, esquecendo a redundância.
Levei os dedos pelas bordas depiladas dessa cona alagada e friccionei o clitóris até o sentir enrijecer por entre os dedos, até te ouvir o gemer arrastado, e até te sentir as pernas bambas. Com os lábios húmidos e sedentos, segurei-te pelo queixo puxando a tua cabeça para junto da minha e disse-te, encostando-os ao teu ouvido: Eu não faço amor. Eu fodo com força!

Entrei em ti de uma só estocada. Ouvi um único, como que último, suspiro. Arrebatado que foi. 
Larguei-te as mãos, segurei os longos e sedosos cabelos, que sempre asseadamente trazes presos, e como se rédeas fossem, neles segurei. Fodi-te com força. Fodi-te com raiva. Fodi-te com vontade.
Segurei-te as mamas. Têm aquele tamanho perfeito, cabem na palma da mão, sem excessos nem defeitos. Belisquei os mamilos tesos, arrebitados. Gemias, talvez num misto de dor e prazer.
Afastei as nádegas, à medida que fui diminuindo a intensidade do vai-vém, por na eminência do desfecho me encontrar. Acariciei. Palmeei. E fui entremeando. Não querendo que folgasses, enterrei um dedo no cu. Voltaste a gemer. Voltei a ter forças. Voltei a foder-te com força, por trás, segurando-te, com força, por trás. Arranquei-te um orgasmo no dedilhar do teu cu e entre estocadas, cada uma mais funda do que outra. 
Senti as pernas tremer, até ficarem fracas. As tuas. 

Meti-a dentro das calças. Lancei-lhe um olhar,  estendida e largada na mesa a vi. Saí. 
Abandonei-a, caralho!


( Em caso de dúvida ou persistência de quaisquer sintomas... vide aqui )


22 comentários:

  1. Zé! Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti!! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nah nah nah nah, esta tinha que ser! :)

      Eliminar
  2. E aquela história toda de dar a outra face e tal?? : P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. então??!! já a dei anteriormente. lê lá o final do post e clica no link ;)

      Eliminar
    2. Já li e vi o ar de cachorro triste...
      Mas ali não deste a outra face!

      Eliminar
    3. Mau!!
      Dei, sim! foi o quê então??
      :))

      Eliminar
  3. ainda ha pouco tempo li num post qualquer já não sei de quem sobre chouriços e blogs eróticos... aqui só falta o "gif" (que diga-se de passagem é o que me chama mais em blogs eróticos porque o texto, bem o texto leio na diagonal, quando leio...)

    quanto ao troco, diz-se que amor com amor se paga nao?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. daí que este NUUUUM É UM BLOG ERÓTICO!! :)))))))

      Ora nem mais, amor com amor se paga ou, quem vai à guerra, dá e leva. :))

      Eliminar
    2. humm sei nao, leio o blog ha pouco tempo mas... põe gifs pa põe gifs! (kidding)

      Eliminar
  4. :)))

    Fiquei tristinha por ela ... Certamente merecia mais :)))

    E tu afinal também enches uns chouriços :)))) dos bons :))))

    Beijoca :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não fiques triste. Ela gostou... gostou, gostou!
      :))))
      e já disse, isto NUM é UM BLOG ERÓTICO!

      Eliminar
    2. Eu imagino que não :) só me apeteceu pegar contigo :))))

      Eliminar
    3. :)))))))))))))))

      Eliminar
  5. Escaldaste-me as bochechas... da cara, note-se :p

    Desde de que assim "se entendam", suponho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outra coisa não seria de supor! que eram as bochechas da cara, claro! Hehehehe ;)

      Eliminar
  6. E a angústia passou .-))

    (isso de compras e chocolates é um pouquito redutor :-b )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, senhor! Eu gosto sempre de desordenar a coisa, ou seja, trocar a sequência temporal, deve ser por isso que gosto tanto de Tarantino. De modos que a angústia veio depois... quer dizer, outro tipo de angústia, porque a outra que tal, passou, temporariamente.... :)))))
      Sou um fraco, confesso... snif, snif...

      Eliminar
    2. Humhum........ angústia com o sentimento de "quero mais" associado :-)))

      Fraco?! Mas........mas quem ficou a tremer das pernas não foste tu! (juizo, menino, qual fraco, qual quê!!!!!!! insatisfeito há procura da eterna satisfação)



      Eliminar
  7. Ahhhh o típico eu só dou à bruta!! O que seria das mulheres se não fossem os homens assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não! A menina engana-se... também sou meiguinho. :))

      Eliminar
  8. Respostas
    1. na na na na naaa... e continua aqui: https://www.youtube.com/watch?v=WeWSRbW4uNM
      :))

      Eliminar