sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Das palavras com tesão






Colocou a música que ela lhe deixara e pedira para ouvir, fechou os olhos e imaginou-a já a sussurrar-lhe ao ouvido as palavras faladas naquela língua que ele esquecera, que julgava morta e em desuso. Tata tananana na, tanananana na.... trauteava, ele, enquanto pensava, raios, vou ter que voltar a falar français... fu fuu! Sorria e dava mais um gole, encostando a cabeça para trás, e voltando a fechar os olhos, apreciava o calor do líquido bebido a subir pela garganta, e atentava à música que lhe despertava novas cenas na sua imaginação...

Encostada de costas ao espaldar da cama, com as pernas em leque e abertas, puxava vagarosamente o vestido, amarfanhando-o entre elas, contorcendo-as. Com um ar de folia ele aproximava-se, balançando o corpo e estalando os dedos ao som do tata tananana na, tanananana na.... de joelhos ao fundo da cama, agarrava-lhe pelas pernas, junto aos tornozelos, e com firmeza puxava-a para si, deixando-a deitada sobre a cama, à sua mercê... 
Abababubu yeah... a par, os dedos subiam-lhe pelas pernas, parando a caminho para lhe arrabeirar a pequena penugem púbica, seguindo depois, apanhando o vestido e levantando-o até o tirar pela cabeça. Deitando-se sobre o seu peito empinado, ficava ali, quieto, recebendo o seu calor e brincando com os mamilos, ora com os dedos, ora com a boca. Como era bom aquele leito! Huummm...hummmm, e a música reiniciava...
Despertando com o som, levava-lhe a mão entre a pernas, tacteando-lhe o jorrar de desejo. Afastando-as, posicionava-se entre elas e massajando-lhe a vulva, penetrava-a morosamente até lhe perceber o trejeito na boca em sinal de ledo. Ao mesmo tempo que o espaldar da cama batia contra a parede, compassadamente, de olhos fincados um no outro, ela dizia-lhe: eh toi, dis-moi que tu m'aimes...Shiuuuuu, dizia-lhe ele, em tom de voz ofegante, aumentando a cadência dos movimentos... não contes do vestido que te tirei... nem o que contigo faço para te ouvir gritar... shiuuu... e sufocando de prazer dentro do seu corpo, afundava-se continua e impetuosamente, e prosseguia, não contes também tudo o que te digo... pois é segredo... je t'aime... shiuuu...

A música terminara, e olhando o copo vazio pensava, não está mal de todo, os vizinhos é que iam ficar fodidos com tamanha chinfrineira. Levantou-se para voltar a encher o copo e colocar outra música.


Bom fim de semana.


5 comentários:

  1. Je t'aime moi non plus...

    (http://www.youtube.com/watch?v=k3Fa4lOQfbA)

    beijocas e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  2. Os vizinhos iam ficar f******, mas era, de não terem (tambem) feito tamanha chinfrineira ;-)

    Bom fim de semana

    Beijitos

    ResponderEliminar
  3. Adorei a música. Há línguas universais lol e acho que neste caso os vizinhos queriam festa também!
    Beijos e bom fds

    ResponderEliminar
  4. Anónimo16.12.13

    Vê lá moço, não te metas na bebida. Males do coração curam-se com mezinhas caseiras, hahaha :P

    a Prima

    ResponderEliminar