quinta-feira, 21 de março de 2013

A tua carne calma







A tua carne calma
Presente não tem ser,
Os meus desejos são cansaços.
Quem querem ter nos braços
É a ideia de te ter.

Fernando Pessoa
Poesias Inéditas, 1930





18 comentários:

  1. bonito.

    (ainda bem que não me ouviste...)

    (mas eu não quero ser voyeur :b, quero estar sentada no banco :)))) a dar milho aos pombos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cu cruuu... Cu cruuu...




























      Pensava que se te sentasses ao pé de mim, irias querer algo mais do que dar milho aos pombos...
      :))

      Eliminar
    2. :b

      (estou na fila, homem :))) estou na fila! nao fujas já :b)

      Eliminar
  2. Incrível como tenho por casa umas quantas coisas dele e praticamente nada li :-(

    R.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que desperdício, homem!

      Eliminar
    2. No pasa nada. Vou lendo algo por aqui :-)

      R.

      Eliminar
    3. Imperdoável!! E Mário de Sá Carneiro, hein? Hein? ;)

      Boa tarde e até logo!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. A menina pediu...
      :)))

      Eliminar
    2. Assim, habituas-me mal! ;)

      Eliminar
  4. boa tarde meninos, hoje de fugida e sem tempo :(
    beijinhos da dn

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. boa tarde, DN
      beijo

      Eliminar
    2. agora boa noite (mas não se deixa um simpático sem resposta :)

      Eliminar
  5. Ah, a esta alma que não arde
    Não envolve, porque ama
    A esperança, ainda que vã,
    O esquecimento que vive
    Entre o orvalho da tarde
    E o orvalho da manhã - FP

    Boa tarde Zé.

    ResponderEliminar
  6. Vim só dizer um Olá a todos :)

    ResponderEliminar
  7. Tão querido a fazer a justa homenagem ao dia da poesia e com um dos nossos, parece-me bem.
    Obrigada.

    Um beijinho grande,
    Ana

    ResponderEliminar