sábado, 1 de junho de 2013

Como uma criança antes de a ensinarem a ser grande, fui verdadeiro e leal ao que vi e ouvi.








Hoje em celebração do meu dia, venho convidar as miúdas a brincar às casinhas. Sim, hoje é  o Dia Mundial da Criança, e eu, criança que sou, festejo! 
Meninas, há um rol variadíssimo de brincadeiras que podemos fazer neste dia, e noutros também. Mas hoje, estou particularmente com vontade de brincar. Não sei, estava a pensar que, dentro do tema, podíamos brincar aos hospitais. Eu seria o doente e vocês as médicas ou enfermeiras. 
Eu dizia: Aiiii! Aiiiiii! Srª Doutora, dói tanto, dói muito...
Ela, vestida com uma bata branca, em pêlo, toda aparadinha ou rapadinha, cheirosa, os cabelos soltos sobre os ombros, com o estetoscópio ao peito, os botões desabotoados e as maminhas a saltitar aos olhos do Zé, e baixava-se sobre mim e perguntava: O que lhe dói? Ao tempo que me colocava a mão na testa. 
Ao qual eu respondia: Ai Doutora, não é aí, é aqui! E pegava-lhe pela mão e fazia-a escorregar pelo meu peito tipo tablete de chocolate, e ela só de sentir aquela ondulação abdominal começava logo a arfar. 
E assim que chegava à ferida dizia: José! Oh Zé! Isso está mesmo mal, e tão duro! Mas, para me certificar, preciso de te fazer uns exames. E examinava-me municiosamente de cima a baixo!

Que tal?! Não?! Não acham piada? Ok, podemos sempre brincar aos enfermeiros. Eu sou o enfermeiro e meço-vos a temperatura. Também não? Esquisitas dum catano! As gajas são sempre assim, umas enjoadas. Vêm logo com a desculpa das dores de cabeça. Dasse!
Pronto, também não é isso?! Já sei, por esta hora estarão a dizer: Menos Zé. Menos! És um porco, a dizer estas coisas neste dia. Não tens tento nessa imaginação. Mas enquanto barafustavam, podia dar-vos uns beijinhos, fazer umas carícias, contar histórias. Sou bom a contar histórias. Assim ao ouvido, quase a sussurrar, à espera que comecem de novo a arfar. Ela numa gemedeira sensual: uhh, ahhh, uhh, ahhh, e eu a ficar de novo com uma protuberância ao nível da pélvis. E depois ainda vos fazia a vontade, e apanhava-vos o cabelo puxava-o e chamava-vos nomes.Insultava-vos com aqueles nomes todos indecentes que gostais, e com o corpo bem encostado ao vosso, para que pudésseis sentir a minha protuberância. Que tal? Ahhh, assim já quereis! Vadias! Não quero! Faço birra e parto triste, sorumbático, com uma mágoa no peito... como uma criança a quem não fizeram a vontade...





10 comentários:

  1. homem... tu és rei, meu sacana! adorei!!!!!!!!

    beijo grande nessa protuber... ups! nessa fuça :b

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queres brincar comigo? queres?????

      Eliminar
    2. :b sempre! começo eu ou começas tu? (tens seguro de saúde? não quero cá pelintras!!!)

      Eliminar
    3. Não comeces já com essas ideias peregrinas. Vá, olha, se tirares as cuequinhas, eu assim a andar de baloiço vejo-te a papoila, topas??? :))))
      E nâo digas que não, se sou rei, MANDO!

      Eliminar
    4. Linda!!! Olha se quiseres também podes andar de baloiço. Melhor ainda, andamos os dois, sentas-te ao meu colo, mas sem as cuequinhas, ok?
      :)))))

      Eliminar
    5. e não me magoas com esse rabinho pequenino? :b (ihihihihihi)

      Eliminar
    6. Aqui é tudo folgado, querida nAm! Tudo à grande!
      :))))

      Eliminar
    7. ahahahahahah! só se crescer depois, porque agora... :b
      vá! deixa-me subir para o teu colo :)))

      Eliminar
  2. Safado!!!! Resto de boa noite!

    beijinho

    ResponderEliminar